PATROCÍNIO
A CARNAÚBA
VALE DO AÇU / BIODIVERSIDADE
A CARNAÚBA
Figura 1: Copa da Carnaúba. Fonte: Francisco Auricélio de Oliveira Costa, Maio de 2014
Figura 2: Carnaubeiras localizadas na região do Vale do Açu/RN. Fonte: Francisco Auricélio de Oliveira Costa, Maio de 2014
A carnaúba (Copernicia prunifera) é considerada uma espécie de palmeira, cuja distribuição geográfica ocorre nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Piauí. Essa espécie faz parte do Bioma Caatinga e se desenvolve em áreas de clima quente, cujos solos apresentam textura que variam do arenosos a argilosos. Vale destacar que essa espécie se adapta também em terrenos alagados e nas margens dos rios e dos reservatórios superficiais de água. A palavra Carnaúba significa “árvore que arranha”, devido a planta apresentar um caule espinhoso em decorrência da retirada de suas folhas. Um dos mecanismos de proteção da planta contra a perda de água nos períodos de estiagem é o acumulo de cera nas folhas, o que faz com que essa espécie se adapte bem as áreas de clima seco e quente, como é o caso do Semiárido Brasileiro. Nesse contexto, o Brasil é considerado o único país do mundo que produz cera de carnaúba, sendo que o estado do Rio Grande do Norte, juntamente com Piauí e Ceará são considerados os principais produtores de cera do mundo, atendendo a demanda de diversos segmentos econômicos (CARVALHO, 2005). No estado do Rio Grande do Norte uma das regiões que apresenta a carnaúba como espécie nativa é a microrregião do Vale do Açu, cuja paisagem vem sendo modificada ao longo das últimas décadas para ampliar as áreas destinadas a fruticultura irrigada. Além disso, o corte da vegetação para abastecer os fornos das indústrias de cerâmica vermelha tem contribuído para a redução das áreas cobertas por essa vegetação. Da carnaúba tudo se aproveita, (raiz, caule, fruto e folha), apresentando inúmeras utilidades. A cera é considerada matéria-prima de grande importância econômica e vem sendo utilizada na fabricação e no revestimento de diversos produtos. Ela é usada como matéria prima de velas, produtos de limpeza domésticos, sabonetes, cosméticos, vernizes, isolantes, etc. A cera ainda é usada para proteger medicamentos, caramelos, filmes fotográficos, dentre outros produtos. Para reverter o atual quadro de degradação ambiental registrado na microrregião do Vale do Açu localizada no estado do Rio Grande do Norte, o Projeto Vale Sustentável patrocinado pelo PROGRAMA PETROBRÁS SOCIOAMBIENTAL vem desenvolvendo diversas atividades com o intuito de minimizar os efeitos causados pelos desmatamentos da vegetação nativa local. Para isso, o Projeto Vale Sustentável recuperará uma área de 130 hectares de áreas degradadas com espécies nativas do Bioma Caatinga, tais como a carnaúba e outras plantas da Caatinga. Por: Elisângelo Fernandes da Silva Referências Bibliográficas CARVALHO, Francisco Prancacio Araújo de. Eco-eficiência na Produção de Pó e Cera de Carnaúba no Município de Campo Maior. Teresina/PI. 2005. 157f. : il.
REALIZAÇÃO
Av. Santos Dumont, 479 - Mirassol Natal/RN - CEP 59078.200 84 3206 5870
WEBMAIL